Mesmo em meio às crises, podemos viver contentes


“Não estou dizendo isso porque esteja necessitado, pois aprendi a adaptar-me a toda e qualquer circunstância. Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fartura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito, ou passando necessidade. Tudo posso naquele que me fortalece”. (Filipenses 4: 11-13).

Ao longo destes últimos dias, estamos atentos às notícias e ao desenrolar dos acontecimentos relacionados à paralisação dos caminhoneiros em nosso país. Uma das razões principais pelas quais essa paralisação chama a nossa atenção é justamente as suas consequências e as repercussões para a vida e o cotidiano de cada um. A paralisação dos caminhoneiros nos mostra como esse grupo de trabalhadores é imprescindível para a economia de nosso país. Não vamos aqui fazer uma análise política ou social da greve, mas a partir desse acontecimento, reforçar que Cristo é aquele que nos sustenta e nos fortalece, mesmo em meio à crise e à escassez.

Em Filipenses 4: 11- 13, o apóstolo Paulo apresenta-se como alguém que já havia vivenciado vários tipos de situações: tanto boas quanto ruins. Ele já havia participado de refeições abundantes, mas também sabia o que era a crise, escassez e fome. Paulo já havia vestido belas roupas, e em outras situações, havia tido apenas o indispensável. O Império Romano vivenciou também suas crises, e certamente Paulo viu de perto algumas delas. O fato é que este homem, por causa de seu relacionamento com Deus e sua entrega a ele, aprendeu o grande motivo para não se desesperar em meio às crises: a presença de Cristo Jesus em sua vida.

A nossa esperança e o nosso contentamento não podem estar baseados nas circunstâncias externas que vivemos, mas naquele que é fiel e que nunca falhará: o nosso Salvador, Cristo Jesus. Em nosso dia a dia enfrentamos todo o tipo de situações, mas o que faz a diferença em nossa vida é reconhecermos que Cristo cuida de nós, nos fortalece e é a razão de nossa esperança. Isso não faz de nós pessoas alienadas e que não se preocupam com a situação da nossa nação. Pelo contrário, pelo fato de crermos na Bíblia Sagrada temos a oportunidade e a responsabilidade de orar pelo nosso país e exercer a nossa cidadania da melhor forma possível, conforme a orientação da Palavra de Deus. No entanto, a partir do momento em que entregamos nossas vidas a Cristo e o buscamos de todo o coração reconhecemos também que a razão da nossa esperança e de nosso contentamento é ele, e não determinada pessoa ou circunstância. Por isso, podemos afirmar que podemos enfrentar qualquer tipo de situação, pois é Cristo quem nos fortalece, cuida de nossa vida e não nos abandona.

Sendo assim, seja enfrentando um momento tranquilo e de fartura, seja enfrentando um período de instabilidade e escassez, confie no cuidado e na suficiência de Cristo, pois ele é a razão da nossa fé e esperança. Além disso, justamente pelo fato de reconhecermos a suficiência de Jesus – o Autor e Consumador da nossa fé, somos convocados a interceder pelo nosso país e a exercermos nossa cidadania para a glória de Deus.

Fonte:
Portal IAP - Claudia Duarte
Dsa. Claudia Duarte congrega na IAP em Votuporanga (SP) e é diretora do Departamento Infantojuvenil Regional da Convenção Noroeste Paulista.

Nenhum comentário

Gostou do artigo? Não gostou? Quer deixar sua opinião, um elogio ou até mesmo uma crítica? Por favor faça uso deste espaço. Comente com sabedoria e respeito. Lembrando que todos os comentários serão moderados.